Show simple item record

dc.contributor.advisorMesquita, Michelle Guiot
dc.date.accessioned2024-05-21T18:38:37Z
dc.date.available2024-05-21T18:38:37Z
dc.date.issued2020
dc.identifier.citationSIMÕES, Gabriele Falzoni da Cruz. As vozes da Ocupação Estudantil: debates e reflexões sobre os determinantes sociais da saúde entre ocupantes de Instituições de Ensino Superior brasileiras em 2016. 42 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Fisioterapia), Instituto Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2020.pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/20.500.12083/838
dc.description.abstractCom a criação da Comissão Nacional dos Determinantes Sociais da Saúde, fez-se possível a mobilização de profissionais e gestores da área para debate a cerca do assunto, instituído em 2008 o modelo proposto para analisar esses determinantes se divide em proximais, intermediários e macrodeterminantes. Devido as características do Brasil, pautadas em um modelo neoliberal, é possível ver ao longo da história a luta dos movimentos sociais para garantia de políticas públicas que assegurassem os direitos da população. Os movimentos sociais foram responsáveis por grandes conquistas, inclusive pela criação do Sistema Único de Saúde no país. As ocupações estudantis passaram a ser mais vistas a partir do século XXI, embora o primeiro registro tenha sido durante a Ditadura Militar. Em 2016, motivados pela PEC 241, estudantes da rede pública de ensino protagonizaram uma onda de ocupações em todo território nacional. Partindo de uma motivação pessoal da estudante pesquisadora deste estudo, que participou ativamente da ocupação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro campus Realengo, este trabalho objetivou analisar os debates e reflexões realizados pelos estudantes ocupantes acerca dos Determinantes Sociais de Saúde nos textos publicados que abordam as Ocupações de instituições de ensino em 2016 por estudantes do ensino superior, e como esses debates aconteceram. Para tal, foi realizado um estudo com metodologia qualitativa, cujo método de análise e interpretação dos dados foi a Análise Textual Discursiva (ATD), respeitando os critérios de unitarização, categorização e construção do metatexto. Após essas etapas foi possível analisar os DSS em seus diferentes níveis. Nos determinantes proximais emergiram questões principalmente ligadas à identidade de gênero, nos intermediários as redes de apoio e o acesso à educação foram abordados, finalizando nos macrodeterminantes sociais da saúde com o reconhecimento do que é o fazer político. Sendo assim, foi possível concluir que os debates que aconteceram dentro dos espaços de ocupação estudantil trouxeram aos protagonistas desse movimento uma maior identidade coletiva, maior sensibilização para questões relacionadas ao desenvolvimento social e econômico do país, assim como muitas trocas e aprendizados acerca dos outros determinantes sociais de saúde em geral.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherIFRJ - CAMPUS REALENGOpt_BR
dc.subjectOcupação; Determinantes Sociais de Saúde; Instituição de Ensino Superior; Movimento Estudantil.pt_BR
dc.titleAs vozes da Ocupação Estudantil: debates e reflexões sobre os determinantes sociais da saúde entre ocupantes de Instituições de Ensino Superior brasileiras em 2016.pt_BR
dc.contributor.authorSimões, Gabriele Falzoni da Cruz
dc.typeTCCpt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record